26/01/2018
Responda já a pesquisa e faça parte do 1º Diagnóstico de Gênero institucional

Atenção Defensoras! O prazo de preenchimento do formulário "A Mulher na Defensoria Pública" foi estendido até o carnaval! A pesquisa está disponível na área restrita do site da DPRJ: https://goo.gl/oZJDMD. Você só precisa do número da sua matrícula e cinco minutinhos.

Com a sua participação, será possível formular o 1º Diagnóstico de Gênero institucional, que será apresentado em março, mês da mulher. Lembrando: as participantes não serão identificadas e nenhuma informação pessoal será divulgada.

A pesquisa apresenta perguntas e situações sobre o dia a dia da mulher que trabalha na Defensoria e trata de temas como licença maternidade, a divisão de tarefas domésticas e o cuidado com os filhos. Nos órgãos de atuação, o Diagnóstico também quer saber se os espaços de trabalho estão adequados e se sentem alguma disparidade com os colegas homens.

"O Diagnóstico é uma ferramenta importante de autoconhecimento institucional e, por isso, tem um potencial enorme de transformação. Para que a pesquisa dê resultados, é preciso que a adesão seja grande. Então, peço a participação de todas, que divulguem o formulário para as colegas" - pede a presidente da ADPERJ, Juliana Bastos Lintz.

No caso da Defensoria Pública, a mais feminina das instituições que compõem o sistema de Justiça fluminense, a formulação de políticas institucionais voltadas para as mulheres se mostra especialmente importante. Hoje, na ativa, são 532 defensoras públicas e 262 defensores. Isso quer dizer que 67% do quadro da DPRJ é formado por mulheres. No caso dos funcionários, dos 1.440, 857 são mulheres, correspondendo a 59% do pessoal de apoio.



COMPARTILHE: